terça-feira, 28 de junho de 2016

Eles protestam contra os impactos que a obra da hidrelétrica causou no rio Xingu

 Foto: Polícia Rodoviária FederalFoto: Polícia Rodoviária Federal 
Um grupo formado por 30 indígenas de várias entnias bloqueia o quilômetro 27 da rodovia BR-230, na entrada para o Sítio Pimental, no município de Altamira, sudoeste paraense, na manhã desta terça-feira (28). Eles protestam contra os impactos que a obra da hidrelétrica de Belo Monte causou no rio Xingu.
Com arcos e flechas nas mãos, eles impedem a entrada de carros e ônibus na Usina de Belo Monte. O grupo também mantém os veículos presos no local, o que está causando um grande congestionamento na rodovia.

 Foto: Polícia Rodoviária FederalFoto: Polícia Rodoviária Federal Os indígenas pedem a presença de um representante da Norte Energia e outro da Funai (Fundação Nacional do Índio) para ouvir as reivindicações.    Fonte: Portal ORMNews

quinta-feira, 12 de maio de 2016

brasilia-oscar-neimeyer-senat-parlement


Após um longo e agonizante processo de recessão econômica, fruto da incompetência administrativa que culminou na maior alta de desemprego dos últimos 20 anos e na perda de credibilidade da imagem do país diante das principais instituições mundiais, hoje, o Senado afastou, por 55 votos a 22, a presidente Dilma Rousseff de suas funções oficiais.
Com a decisão, o Brasil deixa para trás um capítulo vergonhoso de escândalos de corrupção sem precedentes, que manchou a honra e a autoestima do nosso povo.
É importante ressaltar que o todo o processo sedimentou a nossa democracia, a independência dos Poderes e a força das nossas instituições como a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. Podemos afirmar ainda que o procedimento seguiu o rito previsto pelo Supremo, responsável pelo controle judicial de todos os atos referentes ao impeachment, garantindo, inclusive, a ampla defesa da presidente Dilma.
O Solidariedade foi o primeiro partido a defender o impeachment, liderado pelo deputado federal e presidente nacional, Paulinho da Força. A bancada entendeu que era fundamental a mudança de governo para uma nova perspectiva de cenário econômico, com a valorização do real e assim, a retração da inflação, para criação de empregos e condições de desenvolvimento.
A saída da presidente Dilma é um grande avanço para a democracia e o claro recado do povo brasileiro: chega de corrupção!
O impeachment é o primeiro passo para a reorganização do país. A partir de agora, precisamos construir, por meio de um permanente diálogo, um conjunto de propostas que agreguem os diversos setores da sociedade conciliando o crescimento econômico com a geração de postos de trabalho.
Neste momento de transição, o Solidariedade mantém seu compromisso na defesa dos direitos de todos os trabalhadores, com a certeza de que retomaremos o caminho da verdadeira igualdade social e de um Brasil justo para todos.

Fonte: Solidariedade77.org.br

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Senador da oposição, Anastasia deve defender continuidade de processo.
Votação do relatório deverá ser na sexta; na quinta, AGU faz nova defesa.

 

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator do processo de impeachment na comissão especial do Senado, apresenta nesta quarta-feira (4) parecer sobre a continuidade ou não da análise do pedido de impedimento da presidente Dilma Rousseff. A sessão destinada à leitura do relatório está marcada para 13h30.
A entrega do relatório ocorre após a comissão do impeachment ouvir tanto os autores da denúncia contra a presidente quanto ministros que fizeram a defesa de Dilma, além de especialistas favoráveis e contrários ao processo.
Parlamentar da oposição, Antonio Anastasia deverá dar parecer favorável à admissibilidade do processo de impeachment. Ele, no entanto, não deu detalhes sobre o texto. No último dia 29,  o tucano afirmou que o assunto “Lava Jato” será abordado no documento, mas não especificou de que forma.
Para governistas, não é possível incluir a Lava Jato como mais um dos temas da denúncia, que originalmente trata somente das chamadas "pedaladas fiscais" e dos decretos de créditos suplementares liberados sem a aprovação do Congresso Nacional. Ao depor na comissão do impeachment na última quinta-feira, a jurista Janaína Paschoal, co-autora do pedido de impedimento de Dilma, disse que que os senadores devem levar em conta, no julgamento, as investigações da operação Lava Jato.

Fonte: G1

Balanço divulgado ontem mostra que o Estado imunizou 429 mil pessoas

 Foto:  Fábio Costa / Arquivo O LiberalFoto: Fábio Costa / Arquivo O Liberal 
Balanço do Ministério da Saúde, divulgado ontem, mostra que 429.802 pessoas do Pará já se vacinaram contra a gripe neste ano. O quantitativo representa 28,8% do público-alvo, cerca de um terço da meta, que é vacinar, pelo menos, 80% das 1.491.529 pessoas consideradas de risco para complicações por gripe no Estado - sem considerar os habitantes com comorbidades, população privada de liberdade e trabalhadores do sistema prisional.
Para a campanha, que vai até 20 de maio, foram adquiridas pelo Estado 1.846.400 doses da vacina que protege contra os três subtipos do vírus recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para 2016 (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B). Em todo o País, 21,3 milhões de pessoas já foram vacinadas, o que representa 43,6% do público-alvo, que é 80% das 49,8 milhões de pessoas consideradas prioritárias.

Fonte:Portal ORMNews

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Rebeldes mataram pelo menos 15 na mesquita.
Vários ficaram feridos no ataque à clínica. 

 Sírios carregam desta sexta-feira (29) corpo encontrado entre destroços após ataques que atingiram Aleppo, no norte do país (Foto: Ameer Alhalbi / AFP)Sírios carregam desta sexta-feira (29) corpo encontrado entre destroços após ataques que atingiram Aleppo, no norte do país (Foto: Ameer Alhalbi / AFP)

Bombardeios atingiram uma clínica e uma mesquita em Aleppo, no Norte da Síriax, nesta sexta-feira (29). O ataque rebelde contra a mesquita, que fica na área controlada pelas forças governamentais, deixou pelo menos 15 mortos, de acordo com a Associated Press.

O bombardeio contra a clínica provocou graves danos no edifício e deixou vários feridos. Ele foi registrado pouco mais de 24 horas depois de um bombardeio contra um hospital apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), nesta mesma zona rebelde. Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, subiu para 31 o número de vítimas no ataque ao hospital Al-Quds. 

Entre os mortos no ataque ao hospital estão três crianças e três médicos, de acordo com informações divulgadas pela rede americana CNN na manhã da quinta-feira. A emissora "Al Jazeera" e a ONU atribuíram o ataque contra o hospital de Al Quds às forças governamentais. Um dos últimos pediatras que havia na região, o doutor Wasem Maaz, estava no hospital e morreu no ataque.


Fonte: G1 

Mais de 20 toneladas de pescado serão disponibilizadas para a venda direta ao consumidor

 

O município de Paragominas, no nordeste do Pará, recebe a Feira do Pescado, nos dias 30 de abril e 1º de maio das 8 às 14 horas, em frente ao Estádio Municipal Arena Verde. A Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) disponibilizará mais de 20 toneladas de pescado serão disponibilizadas para a venda direta ao consumidor.
Serão vendidos peixes congelados e resfriados de várias espécies, além de camarão rosa, massa de caranguejo e bacalhau. A feira também vai oferecer peixe vivo dos criatórios locais.

Foto: Divulgação/SedapFoto: Divulgação/Sedap  A realização de feiras do pescado em municípios do interior do Estado faz parte da estratégia da Sedap de estimular o consumo de peixes e derivados da pesca permitindo que a população possa adquiri-los a preços mais acessíveis por meio da venda direta de produtores e indústrias.

Fonte:ORMNews

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Na semana passada ainda eram 23 os casos investigados no Pará

 

O boletim epidemiológico divulgado ontem pelo Ministério da Saúde atualizou para 26 o número de casos suspeitos de microcefalia no Pará até 23 de abril. Na última semana eram 23 casos em investigação. No geral, já são 27 casos notificados no Estado desde o início das investigações, em outubro de 2015, uma vez que um registro já foi confirmado.
Em todo o Brasil, foram notificados 7.228 casos suspeitos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivos de infecção congênita, sendo que 2.320 foram descartados e 1.198 confirmados. Outros 3.710 estão em fase de investigação. Do total de casos confirmados, 194 tiveram confirmação laboratorial para o vírus Zika.  No entanto, o Ministério da Saúde ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. Ou seja, a pasta considera que houve infecção pelo Zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia.
 Foto: Marlon Costa / Futura Press / AEFoto: Marlon Costa / Futura Press / AE 
Os 1.198 casos confirmados ocorreram em 435 municípios, localizados em 22 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul. Já os 2.320 casos foram descartados por apresentarem exames normais, ou apresentarem microcefalias e/ou alterações no sistema nervoso central por causas não infeciosas.
No mesmo período, foram registrados 251 óbitos suspeitos de microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto ou durante a gestação (abortamento ou natimorto). Destes, 54 foram confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 167 continuam em investigação e 30 foram descartados.
O Ministério da Saúde também esclarece que está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central, informados pelos estados, e a possível relação com o vírus Zika e outras infecções congênitas. A microcefalia pode ter como causa, diversos agentes infecciosos, além do Zika, como Sífilis, Toxoplasmose, Outros Agentes Infecciosos, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes Viral.
O Ministério da Saúde orienta as gestantes a adotarem medidas que possam reduzir a presença do mosquito Aedes aegypti, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

Fonte: Portal ORMNews

segunda-feira, 25 de abril de 2016

PMDB indicou Raimundo Lira (PB) para presidente do colegiado.
PSDB quer Antônio Anastasia (MG) na relatoria, mas PT é contra.

 

O plenário do Senado elege, a partir das 14h desta segunda-feira (25), os 21 membros titulares e 21 suplentes da comissão especial que analisará as acusações contra a presidente Dilma Rousseff no processo de impeachment.
Nos últimos dias, os partidos indicaram nomes para compor o colegiado, de acordo com o tamanho das bancadas. O PMDB, por ter mais senadores, terá 5 integrantes. Os blocos do PSDB e do PT terão 4 cada um.
 A eleição ocorre em meio à polêmica sobre quem deverá assumir a relatoria do processo. O PMDB indicou o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) para a presidência da comissão – nome que foi bem aceito por oposição e governo. Mas o PSDB, que integra o segundo maior bloco do Senado, quer indicar o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) para a relatoria.

O tucano ficaria responsável por elaborar parecer pela admissibilidade ou não do processo. Se for instaurado o procedimento de impeachment, Dilma terá que se afastar da Presidência por 180 dias. Também cabe ao relator elaborar parecer final sobre o mérito das acusações, recomendando ou não a cassação do mandato.

Desde que a indicação de Anastasia foi anunciada pela liderança do PSDB, petistas vieram a público criticar a escolha. Para o senador Jorge Viana (PT-AC), a relatoria não pode ficar nem com PT nem com PSDB.

“O pior caminho é o PSDB bater o pé e o Aécio Neves indicar a relatoria. O ideal é que tivéssemos alguém que fosse de outra força política. Que não fosse do PT nem do PSDB. Queremos um colega senador ou senadora que tenha isenção”, afirmou Jorge Viana.

Mas o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), insiste que a relatoria fique com o partido e defende que Anastasia atuará com “equilíbrio”."Não compete ao PT opinar sobre isso [indicação de Anastasia]. Vamos submeter a voto. Existe um entendimento de que será respeitada a proporcionalidade. E nesse critério cabe ao PMDB a presidência e ao PSDB a relatoria. Mais uma vez o que o PT tentará fazer é impedir as investigações e obstruir o processo", disse, na semana passada.

Fonte: G1